Comunicação administrativa e interna são a mesma coisa?

A comunicação de uma empresa é importante para impulsionar seu crescimento e engajar os funcionários. Como se trata de uma prática muito ampla, é dividida em diversos nichos: comunicação administrativa, mercadológica, interna etc.

Porém, por falta de conhecimento, em muitos casos vemos uma certa confusão entre a comunicação administrativa e a interna. Não se trata da mesma ação, e cada uma requer cuidados específicos para que seja realizada de maneira eficiente.

Neste post, vamos explicar melhor esses tipos de comunicação e suas diferenças, para ajudar você a gerir melhor as informações na sua empresa. Acompanhe o post!

Qual o conceito de comunicação administrativa?

Podemos definir a comunicação administrativa como a comunicação formal da empresa, realizada por meio de memorandos, e-mails, relatórios e outros documentos que oficializam decisões e processos internos.

Essa comunicação está relacionada intimamente ao fluxo de informações da organização e é essencial para o crescimento e a fluidez dos negócios. Quando a comunicação administrativa funciona bem, a corporação ganha tempo e produtividade, com equipes mais eficientes e objetivos alcançados.

Alguns dos atributos relacionados à comunicação administrativa são:

  • hierarquia: esse diálogo parte dos diretores e CEOs em direção aos funcionários;
  • legislação: tem como um dos objetivos esclarecer os deveres dos colaboradores;
  • normativa: também tem como intuito mostrar as regras e as normas a serem seguidas dentro da empresa;
  • impessoal: tem caráter informativo e usa uma linguagem que não prevê a aproximação das pessoas.

Qual o conceito de comunicação interna?

A comunicação interna tem como principal propósito uma maior integração entre funcionários e empresa, auxiliando na criação de um ambiente de trabalho transparente e sinérgico. Essa abordagem de comunicação deve socializar a informação, mantendo os funcionários conscientes do que acontece na empresa.

Também pode ser encarada como uma ferramenta estratégica para compatibilizar os interesses do funcionário e da empresa, estimulando o diálogo e estreitando vínculos. É uma prática que contribui para bons índices de engajamento e retenção dos colaboradores.

Um dos principais instrumentos usados pela comunicação interna é o diálogo, realizado por meio de boletins informativos, mural, TV corporativa e intranet.

Para que funcione, a comunicação interna deve usar uma linguagem que atinja seu público-alvo (funcionários), sem esquecer de levar em consideração o conteúdo apresentado. Também pode utilizar inovações tecnológicas para ajudar na aproximação e participação.

Qual a importância dos dois modelos para a construção de uma comunicação integrada?

A comunicação é peça-chave para o desenvolvimento de uma empresa, afinal ela é responsável tanto pelo contato com os clientes quanto pela interação entre equipes e diferentes hierarquias.

Por muito tempo, essa comunicação foi feita de maneira isolada, com enfoque em cada um dos diversos objetivos. Hoje, com a rapidez na troca de informações proporcionada pela internet, essa prática não é mais possível. Os departamentos devem estar conscientes dos problemas e totalmente integrados para que a comunicação seja feita de maneira consciente e positiva.

A única maneira de conseguir isso é apostando na comunicação integrada, em que a comunicação administrativa e a interna têm papéis essenciais. A atuação conjugada dessas duas abordagens traz a possibilidade de um diálogo mais efetivo com stakeholders e consumidores, além de ajudar a construir uma cultura organizacional que inclui os funcionários nos processos e decisões.

Quando essas modalidades de comunicação são trabalhadas em conjunto, os funcionários podem ser colocados de maneira estratégica para o alcance de metas. Assim, eles ficam cientes não só das normas a serem seguidas e das determinações da diretoria, mas também entendem qual o seu papel e a sua importância para a organização.

Dentre os vários benefícios que a prática oferece, estão maior engajamento e motivação dentro de um ambiente que mantém suas normas com transparência. O colaborador sabe exatamente o que deve fazer e entende o motivo das suas ações.

Quais são as ações e práticas da comunicação interna e da comunicação administrativa?

Trazendo para um cenário mais prático e palpável, podemos determinar que as ações de cada modalidade de comunicação são bem distintas entre si.

A comunicação interna pretende viabilizar a integração entre os funcionários, guiada por objetivos bem definidos. Dentro de um RH estratégico, esses objetivos estão ligados ao alcance de metas e o papel que cada um exerce dentro da equipe, levando em consideração suas competências e habilidades.

Com esse propósito, a comunicação interna tem o papel de informar, motivar, criar o espírito de equipe, convencer sobre alguma ideia, conscientizar sobre a importância e o modus operandi dentro de um projeto.

A empresa utiliza então a comunicação interna para convencer os funcionários sobre determinadas práticas, obtendo assim o apoio das equipes e um trabalho direcionado e com foco.

Já a comunicação administrativa tem abordagens e objetivos totalmente diferentes. Ela traz a intenção de atualizar, orientar e reordenar algumas práticas, mantendo o trabalho dentro das regras corporativas.

Dentre as principais características dessa abordagem, podemos destacar o caráter informativo, as instruções técnicas e a informação sobre acontecimentos técnicos e operacionais. É por meio da comunicação administrativa que a empresa informa os funcionários sobre mudanças na diretoria, novas normas de segurança, folgas, recessos gerais, entre outros.

Apesar de extremamente importante, a comunicação administrativa sofre algumas barreiras. Seu caráter deve ser formal, e justamente por isso as informações nem sempre são recebidas com a atenção merecida. Além disso, a distância hierárquica entre as duas pontas dessa comunicação pode prejudicar a compreensão da mensagem. Porém, trata-se de uma prática importante e que não deve ser negligenciada.

Levando em consideração todos esses aspectos, vale lembrar que as duas vertentes de comunicação não devem ser confundidas, já que uma tem como principal intuito informar e a outra engajar. Elas devem andar em parceria, assim como as outras vertentes de diálogo da empresa, para que haja coerência nas informações e integridade na imagem da organização.

Agora que você já sabe a diferença entre comunicação administrativa e interna, quais são os pontos principais de cada uma e a importância delas para o diálogo da empresa, já sabe como vai integrar essas duas vertentes na sua organização? Quais são as principais dificuldades enfrentadas dentro de cada prática?

Aproveite para deixar um comentário no post com as suas observações e ações que funcionaram dentro da sua empresa!

Relacionados